Lixo tecnológico: como solucionar?

Lixão eletrônico na China

Antônio Póvoas Dias – Presidente do Comitê para Comitê para Democratização da Informática de Santa Catarina (CDI-SC)

Em 2007 os brasileiros compraram 20 milhões de computadores, 11 milhões de televisores e 21,1 milhões de novos telefones celulares. Números que comprovam o crescimento do consumo de artigos de tecnologia, mas que trazem à tona uma grande preocupação – o destino do lixo tecnológico. A equação é simples: quanto maior o consumo, maior a produção de lixo.

O que fazer com esse lixo é a pergunta de muitos e é também o tema da Semana da Inclusão Digital de 2008, promovida de 25 a 28 de março pelo Comitê para Democratização da Informática (CDI), em Santa Catarina. Recentemente Santa Catarina ganhou uma legislação sobre o assunto. Desde o dia 25 de janeiro, fabricantes, importadoras e empresas que comercializam eletrônicos são os responsáveis por dar um destino final ecologicamente adequado aos equipamentos e seus componentes.

A sanção da lei não poderia vir em melhor hora. O lixo tecnológico possui resíduos tóxicos e perigosos apresenta um tempo de decomposição bastante longo. Um monitor, por exemplo, leva cerca de 300 anos para desaparecer na natureza.

O que poucos sabem é que o lixo tecnológico também pode ser reaproveitado, gerando oportunidades de emprego e renda. Essa é a idéia da Metareciclagem, que propõe a transformação social por meio da reapropriação da tecnologia – desde o reaproveitamento de computadores para laboratórios de inclusão digital, até a transformação de resíduos eletrônicos em peças de artesanato.

Durante o ano de 2008, o CDI irá difundir o reaproveitamento consciente do lixo tecnológico. No nosso Estado, por exemplo, o CDI-SC já capacitou seus educadores para disseminar a Metareciclagem em suas escolas. Assim, esperamos divulgar a idéia e conscientizar a população, encontrando cada vez mais alternativas de reaproveitamento deste tipo de material. Vemos, assim que além de proteger a natureza, o reaproveitamento dos eletrônicos que jogamos fora pode gerar inclusão digital e social.

Site: www.cdisc.org.br

1 comment to Lixo tecnológico: como solucionar?

  1. Naná Hayne
    novembro 2nd, 2008 at 19:19

    Eu faço arte e artesanato com este lixo…
    dê uma passadinha no meu blog pra ver…
    Busco capacitar professores de educação artística para que ensinem em suas escolas!!!

    bj