Arquivos por Mês

Tony Borges

img_historia_tonyLembro-me como se fosse hoje: Eu atendo do telefone e do outro lado da linha Maria Odete Olsen. Este foi o meu primeiro contato com o programa Educação e Cidadania. Ela estava me convidando para substituir a global Marise Marturano no programa.

Já a conhecia, pois tínhamos sido colegas na RBS TV. Ela ancorava o Jornal do Almoço, aqui em Florianópolis, e eu trabalhava em Chapecó, como repórter. Foi lá no oeste do estado que comecei minha carreira televisiva. Já trabalhava como comunicador em rádio.

Percorri o longo caminho da mídia eletrônica. Comecei em rádio AM, no Rio Grande do Sul, depois fui comunicador de FM e, em 1988, finalmente comecei um novo desafio: trabalhar em televisão, na RBS em Chapecó, onde também atuava como comunicador na Atlântida FM. Em 1994 vim para Florianópolis em busca de um novo desafio. Conquistar meu espaço na capital. Trabalhei no SBT e, depois, na TVBV.

Atuei como repórter e produtor do programa César Souza e o então deputado me convidou para trabalhar no jornalismo da rádio Guararema (onde permaneço até hoje). Fiquei trabalhando só na rádio, mas foi por pouco tempo. Continuei na Guararema e aceitei o convite para o Educação e Cidadania. Isso aconteceu no ano 2000.

Fiz reportagens em centenas de escolas: do conceituado Colégio Catarinense, no centro da capital, a uma escola no Alto Rebeirão, no sul da ilha, onde quatro turmas, da 1ª a 4ª série, estudavam na mesma sala de aula, com a mesma professora e ao mesmo tempo (infelizmente isso ainda acontece em milhares de escolas Brasil afora).

As reportagens para o programa Educação e Cidadania, despertaram em mim o desejo de voltar a estudar, depois de 18 anos longe dos bancos escolares. Fiz vestibular para jornalismo e passei. Não foi apenas a conquista do “canudo”, foi uma realização pessoal, ser jornalista.

Hoje continuo trabalhando na Guararema, e sou repórter da TV Record.